A Falsa Doutrina Ufológica

Por Atilio Coelho 


      A algum tempo a Ufologia em seu ramo tido como científico tem caminhado em passos lentos e boa parte dos grupos se limitam a visão dos anos 60 onde basicamente o registro de um OVNI em determinado local é o suficiente, poucos são aqueles grupos que desenvolvem trabalhos que vão além desta prática. Lembro da ocorrência de eventos apenas para discutir uma foto e suas circunstâncias, como foi o caso de Gulf Breeze nos EUA, ou a foto de Trindade, Espírito Santo, Brasil que depois foi desqualificada, graças ao grande pesquisador Claudeir Covo.
      Hoje com esse boom tecnológico digital em que técnicas são utilizadas para criar e principalmente manipular imagens onde vídeos apresentam formas normalmente de humanóides e naves propositalmente com imagens desfocadas de maneira que o observador não perceba facilmente a fraude, passam a falsa ideia de que estamos vivendo uma nova onda ufológica em que milhares de naves são observadas diariamente e seres perambulando pelas ruas e campos sem se preocuparem. 
     A própria casuística ufológica não demonstra isso, aparições na maioria das vezes se dão de forma velada demonstrando cautela para que possam realizar suas atividades com poucos riscos. 

 MENSAGENS CANALIZADAS 

     Religiões espíritas de um modo geral chamavam de médiuns, pessoas que possuíam o dom de receberem mensagens provindas de espíritos.
      A partir da década de 70 começaram a surgir mensagens chamadas canalizadas, se apresentam como provenientes de mestres espirituais, capitães de naves estelares e outros personagens. Costumam trazer textos bem elaborados, numa linguagem bela e trabalhada de forma a trazer confiança ao leitor, ou profecias que normalmente não se concretizam. Em 2019 foi divulgado que pleiadianos estavam introduzindo a cura para o vírus que causaria muitas mortes. 
     Até o momento, julho de 2021, como podem observar tal cura não chegou e não chegará tão cedo embora Bill Gates tenha adiantado que em 2022 haverá uma queda acentuada. Mas se você se interessa realmente por Ufologia deve se questionar sobre a verdadeira fonte destas mensagens, virão elas realmente de seres alienígenas? 
      Na década se 90 fui convidado para conhecer uma casa na cidade de Santos, no litoral paulista, onde se reunia um grupo que mantinha uma Interessante coluna no jornal A Tribuna de Santos. Me informaram que lá baixavam extraterrestres. Mesmo estranhando mas como pesquisador tinha de conhecer. Chegando lá ocorreu a reunião onde membros do grupo simpaticamente trouxeram informações importantes que me seriam úteis sobre pesquisas em determinados locais como por exemplo o modo como militares se aproximavam de um portal em determinado ponto da Jureia. Mas deu-se início a chegada dos alienígenas quando pude conversar com eles e trocar informações. A certa altura da conversa o tal extraterrestre se revelou se tratar de um Exú. Afirmou se apresentar desta forma para obter a atenção das pessoas, portanto um ser do chamado Astral Inferior e não um alienígena de fato ou sim seria um alienígena para determinadas áreas ou religiões onde os caracterizam como Nefilins ou anjos caídos, pois segundo a Torah para os judeus ou Bíblia para os cristãos eles seriam provenientes de um outro plano, céu ou dimensão que para cá vieram com a missão de nos observar e acabaram se misturando com a população terrestre. 
      Desta forma seriam confiáveis as lindas mensagens de falsos mestres, capitães estelares alienígenas? Qual finalidade real de tal movimento doutrinário? 

 O FENÔMENO UFO COMO RISCO

      Anos após fui convidado a verificar o que estava ocorrendo em determinada cidade do norte fluminense. Não divulgo a cidade para preservar seus cidadãos, porque muitos se tornaram inimigos da Ufologia por se sentirem ridicularizados como no caso de Varginha, MG, quando um programa humorístico teria ridicularizado a população, segundo eles e isso causou sérios perdas a comerciantes e a Prefeitura local que se preparava para ser a Roswell brasileira. Se bem que de fato ela é. Rss 
      Retornando, chegando a tal cidade e conversando com diversos cidadãos, senti a situação em que estavam passando, os relatos coincidiam quanto ao modus operandi dos intraterrenos locais, moradores de alguns bairros estavam sendo incomodados, passaram a ter problemas para dormir, estresse, crianças com problemas nas escolas como consequência da situação. Fui conversar com um jovem de 12 anos na época, até então obtinha ótimas notas na escola, mas seu rendimento começou a cair quando deu-se início a um processo que na Ufologia chamamos de entrantes ou substituição de pessoas. O jovem relatava com detalhes a pele estamos e alva dos seres, da estrutura que armavam sobre sua cama e como se projetavam sobre seu corpo. Ou então uma mãe cujo filho numa situação já avançada, não o reconhecia como seu filho.
      No norte de Minas Gerais o sequestro de bebês, algo até tido como tradicional para moradores daquela região que é palco de luzes caminhantes pelas matas. 
      A grande pesquisadora Gilda Moura em suas palestras e trabalhos informa que militares ficaram surpresos quando souberam que um dos objetivos das abduções era a retirada da alma das vítimas e que em algumas vezes este princípio era substituído por uma artificial. 
      Ainda não sabemos na verdade o que fazem com essas almas extraídas, mas sabemos como passam a agir estes que foram substituídos. 
      Estes são apenas alguns exemplos para que tenham uma noção do que REALMENTE vem ocorrendo. Mas se a população preferir o engano, o show, a necessidade de acreditar em qualquer coisa em substituição às crenças tradicionais como vem ocorrendo, e se colocando em risco que a partir de certo ponto passa a ser um risco coletivo, algo que vai tomando corpo mas por culpa não só dos governantes que buscam sustentar o ocultamento, mas também de interesses diversos, que vão desde líderes religiosos que teimam em esconder essa realidade ao invés de preparar seus seguidores. Eles utilizam inclusive sua força político e eleitoral para controlar governos e manter seu poder através da ignorância reinante, mas como dissemos, tal ação colocarem risco coletivamente as populações, pois alguns chegam a procurar o Estado através das polícias, fóruns criminais que também se mostram despreparados para essas situações. 
      Não podemos deixar de lembrar dos empresários que agora entram na Questão UFO na busca de contratos governamentais e busca desenfreada de tecnologias que possam ser adquiridas através de reengenharia ou acesso direto para que possam ganhar muito dinheiro com isso. Mas não há o que ganhar se estamos sob ataque, diversos cientistas já alertaram para os riscos de um contato com tais povos alienígenas.        Até porque não somos uma civilização unida, há informes de contatos em separado com diversos governos que acabam utilizando esse conhecimento para confrontarem seus inimigos terrestres. Ainda estamos numa fase de guerras tribais onde ainda se disputa poder sobre outras regiões do globo. Como alertaram aos cosmonautas russos a bordo da Salyut, "não estão preparados para estarem aqui". Mesmo que estivéssemos numa fase mais harmoniosa, teríamos de nos confrontar com as diversas raças instaladas no orbe. São raças que tem extraído diversas riquezas minerais a séculos e causado sérios danos aos humanos e animais. Mas não só armam nações inimigas como também a algum tempo passaram a preparar e utilizar humanos para seus interesses, onde atuam como representantes destas forças e tais ações além de contribuir para o engano e desinformação, agem para que aceitemos e alhamos a eles. 
      Lembremos da batalha de Dulce onde tivemos grandes baixas. Qual a razão desta batalha? Não seria para interromper o contrato que fizeram com aqueles seres após saberem que o governo fora enganado e que os alienígenas não estavam cumprindo o acordo? O governo norte-americano teve de baixar a cabeça e continuar a abertura de túneis e estruturas no subsolo. Batalhas no Afeganistão onde as tropas americanas também tiveram grandes perdas em decorrência do uso de armamentos inferiores. 
      Segundo informes, mesmo Hitler teria tido orientação de certa raça, que chamavam de super homens. Chegaram a começar a desenvolver diversos veículos, alguns parecidos a naves e outros ainda mais sofisticados como o famoso sino que tinha inclusive a capacidade de transporte no tempo. Mas não tiveram tempo para isso e segundo fontes Hitler conheceu pessoalmente um ser que os instruia e ficou apavorado, perdeu sono por dias e chegou a dizer que não queria ver nunca mais aqueles seres.
A HISTÓRIA SE REPETE? 

 Exemplos não faltam quanto ao objetivo de raças que estão em contato com governantes e pessoas que estão atuando a serviço ou interesse deles, seja na criação de nova religião, seja na anulação de opositores as suas investidas. Portanto, estamos sob risco, estamos sob ataque. A ação passiva que eles estão impondo através de seus meios não contribuem para nosso futuro como população livre e avançada, mas para uma população escrava sob controle de raças hostis. 
      Mesmo estando no século 21, ainda somos primitivos, ainda utilizamos guerras tribais, ainda não nos encaramos como um único povo residente neste orb, preferimos destruir nosso lar cósmico em todos os níveis nossa fauna e flora ao invés de vivermos harmoniosamente com este meio ambiente, aguardamos insistentemente o retorno ou chegada dos deuses, ainda agimos como os índios na chegada dos europeus que erroneamente aguardavam a chegada divina e deu no que deu. Não aprendemos nada.

    ATILIO COELHO - é pesquisador de campo. Foi fundador do Núcleo Tron - Centro de Estudos e Pesquisas, da ONG Projeto Semente, colunista do jornal Página Leste, co-editor da revista Ciências Paralelas, consultor da revista UFO.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PLANO DAS RAÇAS ALIENÍGENAS E O GOVERNO NORTE AMERICANO

A Tecnologia a nós imposta

CAVERNA NO PICO DO JARAGUÁ