domingo, novembro 20, 2011

IMAGENS DA EROSÃO MARÍTIMA NO NORTE DA ILHA CUMPRIDA/SP

Meus amigos, Aqui vão mais algumas imagens chocantes que registramos no extremo norte do município de Ilha Cumprida, litoral sul do estado de São Paulo. Observem os troncos de diversas árvores caídas desde a raiz.

Ilha Cumprida também está sendo afetada pela erosão marítima

Temos apresentado neste blog os diversos locais onde a chamada erosão marítima se faz presente , principalmente no litoral paulista. Já falamos aqui sobre os municípios de Santos, São Vicente, Itanhaém, Peruíbe, Iguape, mas agora também trazemos informações sobre o que ocorre no município de Ilha Cumprida, localizado no estremo sul do estado. Constatamos que boa parte do extremo norte da ilha já está comprometida no que tange as suas praias, pois são quilômetros de barra já atingida. Chegamos a conversar com um jornalista daquele município, que também vem acompanhando este processo de destruição das praias da região, quando nos mostrou diversas fotos de meses passados para que pudéssemos constatar o grau de destruição e a velocidade do processo de degradação e destruição de diversas residências próximas as praias. Em Iguape, moradores acreditam que um dos motivos deste processo, além do aquecimento global, seria um trabalho realizado pelo governo estadual na década de 80, quando construíram algumas barreiras e compotas no rio Iguape, desencadeando uma série de reações da natureza, como a formação de uma ilha no Mar Pequeno, entre o centro de Iguape e o norte da Ilha Cumprida. O Rio Ribeira de Iguape também vem demonstrando alto grau de assoreamento e sua foz vem sofrendo diversas transformações, trazendo enormes troncos de árvores e outros materiais, que segundo aquele jornalista estaria formando uma nova margem ao norte e destruindo toda margem de seu leito na região de Igarapá. Para ele, a margem do lado do bairro de Barra do Iguape estaria se aproximando da margem de Igarapá. O resultado ali são águas turvas, sujas de diversos materiais trazidos do interior da mata e de escombros de residências e outros materiais ali nas margens, assim como praias que se tornaram verdadeiros depósitos destes materiais trazidos daquelas outras regiões. Ou seja, a natureza respondendo as intervenções humanas.

YES, NÓIS TEMU BANANAS!

Toda vez que passo pelo chamado Vale do Ribeira, localizado na região sul do estado de São Paulo,fico nervoso ao me deparar com as intensas agressões ao meio ambiente. O Vale do Ribeira é a área de maior presença da Mata Atlântica no país. Há diversos parques ali instalados com o objetivo de proteger o que resta daquela mata que originariamente chegava a atingir até os estados nordestinos, mas hoje se resume a pequenas ilhas da antiga floresta. Daí a importância da região do Vale do Ribeira na preservação daquele sistema e de sua fauna. Empresários e governos (municipal e estadual) poderiam desenvolver ali diversos projetos sustentáveis de maneira que aproveitassem de maneira racional a floresta sem destruí-la. No trabalho desenvolvido por Nicia Wendel ligada a Fundação SOS Mata Atlântica, o Descubra o Lagamar, consta que o governo estadual está realizando um trabalho de tombamento daquelas serras, isso dito em 2003. Oito anos depois diversos proprietários daquelas terras desmatam sem piedade enormes quantidades de mata, algumas em morros com quase 90% de inclinação onde na maioria das vezes as destinam para a agropecuária ou principalmente plantação de banana. Podemos dizer que grande parte da mata atual está sendo substituída por plantações de bananas, reduzindo ainda mais o habitat de diversas espécies de animais e vegetais. Chegamos a constatar queimadas em Área de Preservação Permanente localizado na Barra do Ribeira, para a construção de novas casas, e as placas indicativas deitadas em meio aquela destruição. Então me ponho a perguntar, será que a SOS Mata Atlântica não percebe o desmatamento daquela floresta e o avanço de diversas plantações de bananas, assim como outras tantas agressões ao meio ambiente? O que estariam fazendo a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e as prefeituras locais?

Yes, nóis temo bananas!

Toda vez que passo pelo chamado Vale do Ribeira, localizado na região sul do estado de São Paulo,fico nervoso ao me deparar com as intensas agressões ao meio ambiente. O Vale do Ribeira é a área de maior presença da Mata Atlântica no país. Há diversos parques ali instalados com o objetivo de proteger o que resta daquela mata que originariamente chegava a atingir até os estados nordestinos, mas hoje se resume a pequenas ilhas da antiga floresta. Daí a importância da região do Vale do Ribeira na preservação daquele sistema e de sua fauna. Empresários e governos (municipal e estadual) poderiam desenvolver ali diversos projetos sustentáveis de maneira que aproveitassem de maneira racional a floresta sem destruí-la. No trabalho desenvolvido por Nicia Wendel ligada a Fundação SOS Mata Atlântica, o Descubra o Lagamar, consta que o governo estadual está realizando um trabalho de tombamento daquelas serras, isso dito em 2003. Oito anos depois diversos proprietários daquelas terras desmatam sem piedade enormes quantidades de mata, algumas em morros com quase 90% de inclinação onde na maioria das vezes as destinam para a agropecuária ou principalmente plantação de banana. Podemos dizer que grande parte da mata atual está sendo substituída por plantações de bananas, reduzindo ainda mais o habitat de diversas espécies de animais e vegetais. Chegamos a constatar queimadas em Área de Preservação Permanente localizado na Barra do Ribeira, para a construção de novas casas, e as placas indicativas deitadas em meio aquela destruição. Então me ponho a perguntar, será que a SOS Mata Atlântica não percebe o desmatamento daquela floresta e o avanço de diversas plantações de bananas, assim como outras tantas agressões ao meio ambiente? O que estariam fazendo a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e as prefeituras locais?